quarta-feira, 15 de julho de 2009

Preparação Alfa Romeo 156 Troféu CSB




O Clube de Slot de Braga organizou um troféu com o minimodelo Alfa Romeo 156 GTA do fabricante Proslot, aproveitando um preço muito especial de um revendedor estrangeiro. Sim, porque em tempo de crise há que conter custos, mas o gosto pela competição não é sensível a finanças…

Este modelo reproduz um veículo multi-vitorioso dos campeonatos europeu e mundial de turismos do princípio e meados desta década. As linhas do minimodelo são agradáveis, sobretudo porque o veículo original é um bom exemplo do belo estilo italiano. O fabricante tem uma variedade aceitável de decorações, o que juntando ao hábito no CSB de personalizar as decorações, permite antever corridas coloridas.

Numa avaliação genérica, podemos dizer que a reprodução é aceitável, os acabamentos sofríveis e a mecânica deficiente.

Na carroçaria são evidentes marcas e rebarbas de fecho do molde. A pintura, normalmente aceitável nos modelos vermelhos, no modelo branco que escolhi para preparar parece ter sido deixado a meio: as áreas verticais por cima das cavas da roda parecem não ter pinga de tinta… a tampografia seria agradável se as faixas decorativas que atravessam os diferentes painéis fossem minimamente alinhadas. No chassis, para além de rebarbas, é frequente a falta de material no pilar de aperto do parafuso posterior.

A parte mecânica não anima muito mais…

O motor, do tipo “S” (Mabuchi FC-130), não é mau (depois de rodado) e vem montado num berço “flutuante”, uma das particularidades dos chassis deste fabricante. Os casquilhos em plástico são longos, para encaixar em simultâneo no berço e no chassis, e não têm folga excessiva. As rodas são aceitavelmente cilíndricas e concêntricas com o eixo. Os pneus têm uma boa aderência mas raramente são concêntricos com as jantes. É sempre necessário rectificá-los. Em algumas versões são fornecidos pneus 20x11, em outras versões pneus 19x10, enfim, falta de critério total. No eixo dianteiro temos uma outra originalidade: o minimodelo apresenta semi-eixos, apesar que o material escolhido é pouco rígido e resistente e a folga entre alojamento e semi-eixo permite que as rodas dianteiras dancem em todas as direcções… nada bom. O chassis em plástico é flexível e é normal apresentar empenos visíveis. Outra originalidade é a inclusão de um lastro de 6,5g… mas só em algumas versões… mais uma vez, grande falta de critério do fabricante.

Para terminar a inspecção à mecânica, o grande “calcanhar de Aquiles” do minimodelo: a transmissão. Pinhão e coroa são em material plástico e muitos maus. O pinhão parte com facilidade e a cremalheira tem “módulo variável”, pelo que temos minimodelos a rolar com “controlo de tracção” activado (pinhão a rodar no veio do motor) ou então a rolar com “escape livre” (barulho originado pelo mau engreno na transmissão).

Então?... se é assim tão mau, porque utilizar este modelo em competição???...

Bem, a primeira razão é a configuração: o motor está montado em posição sidewinder e baixinho, o que permite uma condução excitante e característica, diferente dos”Turismo”, de configuração longitudinal, cujo campeonato foi concluído recentemente no CSB. Segundo, porque as principais falhas (mecânicas) podem ser facilmente corrigidas com material calibrado. Terceiro, disse-o logo no início do artigo: carros novos em saldo. E finalmente, porque o 156 é lindo!!!

Então, preparação. A primeira coisa é abrir o minimodelo e desmontá-lo totalmente. Eu tenho por hábito desmontar tudo, inclusive habitáculo e vidros, mas reconheço que é desnecessário. Basta com separar chassis da carroçaria. Depois há que desmontar todos os componentes do chassis: berço de motor, motor, casquilhos com eixo traseiro, semi-eixos dianteiros, rodas e patilhão e verificar a distorção do chassis. Se for excessiva, tem que ser “desempenado”. Há uns truques engraçados com placas de verificação, imanes e água quente que permitem fazer milagres…

Depois de desempenado o chassis, junto o material para a montagem:

  • Motor regulamentar: Slot.it V12/3 de 21,5k;
  • Pinhão: para configuração transversal, de 11 dentes (obrigatório);
  • Coroa: uma coroa de alumínio, de 32 ou 42 dentes da Slot.it
  • Casquilhos: o único fabricante que eu conheço que fornece casquilhos em bronze com as medidas usados nestes minimodelos é a Slot.it;
  • Eixos dianteiros: o regulamento permite manter semi-eixos (o que me agrada), mas os originais não servem; um conjunto da MB Slot vai ficar impecável;
  • Eixo traseiro: um eixo 3/32 de 50mm calibrado da Slot.it;
  • Jantes dianteiras: Spirit de 17mm estreitas;
  • Jantes traseiras: com o diâmetro mínimo admitido pelo regulamento, 16,5mm, da slot.it; umas de 17mm também seriam aceitáveis (sempre com o cuidado de serem as variantes de cubo estreito para não exceder a largura de eixo máxima admitida pelo regulamento);
  • Pneus são livres: para trás, em pista Carrera, ainda não há nada que chegue aos “P1” (cada vez mais difíceis de encontrar); para a frente, os Slot.it “zero grip” de 17x10mm nas jantes que escolhi põem as rodas na altura certa;
  • Patilhão: um Scaleauto universal de 6,8mm de profundidade;
  • Palhetas: MS Slot douradas.

Antes de começar a montagem é conveniente verificar a basculação. O movimento entre o chassis e a carroçaria normalmente é impedido pelas rebarbas que abundam nestes modelos. É boa ideia eliminá-las com ajuda de um bisturi ou faca de corte. Mas cuidado para não exagerar… o regulamento permite “eliminar rebarbas”, não permite “aligeirar”…

Começo por montar o motor no berço. É necessário fixá-lo bem o motor para impedir que se solte do berço ou rode em aceleração, pelo que uso um pouco de cola térmica. Monto os casquilhos no berço e depois o berço no chassis.

Instalo o patilhão e faço a condução dos cabos de alimentação. Este pormenor é importante. A configuração do habitáculo não permite que cabos de diâmetro médio (como os da Slot.it) passem pelo lado esquerdo do chassis sem interferirem com o assento do piloto (os cabos originais são de pequeno diâmetro). Passo ambos os cabos pelo lado direito do chassis e, ao passar junto aos apoios dos semi-eixos dianteiros, derivo cada cabo para o seu lado, fixando-os com uma gotinha da cola de contacto.

Os semi-eixos dianteiros ficam perfeitamente alojados nos furos de passagem originais no chassis. São as rodas que giram livremente nos semi-eixos (por isso escolhi as Spirit, que têm uma tolerância maior que as Slot.it e giram melhor). As rodas são depois imobilizadas no veio com pequenos freios fornecidos com os semi-eixos.

Monto o eixo traseiro, a transmissão e as rodas e com umas gotinhas de cianoacrilato imobilizo os casquilhos, limitando vibrações e atritos. Prefiro colar os casquilhos apenas ao berço, mantendo a basculação do berço em relação ao chassis. Atenção ao utilizar cianoacrilato: deixar secar antes de fechar o carro, sob o risco de deixar os vidros permanentemente “embaciados” com fumo branco…

Uma outra variante de preparação, mais económica, será aproveitar o eixo original traseiro para montar as jantes originais. Apenas se utiliza como material adicional de preparação o motor regulamentar, a transmissão (pinhão e coroa) e um eixo calibrado para o eixo traseiro. Em termos dinâmicos o resultado é muito semelhante, mas poupam-se uns euros valentes…

E já está! Agora é fechar o carro e para a pista, que em casa não se treina o dedo!!!....

Boas gatilhadas!

Orçamento: este orçamento inclui todos os acessórios. É possível reduzir o valor global utilizando apenas os componentes indispensáveis – transmissão, motor e um eixo calibrado. Nos artigos que se vendem em conjunto apenas considerei o material utilizado (exemplo, pinhões são vendidos em pares, considerei apenas metade do valor).

Descrição

Fabricante

Ref.

(€)

Obs.

Alfa Romeo 156 GTA

ProSlot

Várias

19,95

Motor V12/3 21,5k

Slot.it

MX10

13,50

Pinhão Ø6,5, Z11,

Slot.it

PS11

3,00

(2un.)

Coroa Ø18, Z11, Al

Slot.it

GS04/05

5,95

Eixo Ø3/32’’, 50mm

Slot.it

PA0150

2,60

(2un.)

42,20

Subtotal 1

Casquilhos p/ProSlot

Slot.it

PA11

4,05

Semi-eixos de latão

MB Slot

19092

5,70

Jantes Ø17x9, Al

Spirit

030711SP

5,00

Jantes Ø16,5x9 Al

Slot.it

PA43ALS

5,75

Pneus Ø17x10, “Z0"

Slot.it

PT15

6,05

(4un.)

Pneus Ø19x10, “P1”

Slot.it

PT04

6,05

(4un.)

Patilhão 6,8mm

Scaleauto

1608

3,20

Palhetas racing cobre

MB Slot

19080

5,10

29,75

Subtotal 2

71,95

Total

20 comentários:

Emídio Peixoto disse...

Caro amigo Miguel Queirós:
Estás de parabéns pelo artigo que escreveste sobre a preparação do Alfa 156.
É assim que se dá um forte impulso ao slot de competição, ensinando os mais novos e mostrando os segredos sem medo aos restantes competidores.
Um abraço,
Emídio.

P.S.: o teu artigo já está divulgado no Slot Forum.

Augusto disse...

Miguel,
Adorei o teu artigo. Simplesmente fantástico. Considero dos melhores e mais completos que já li.
Muitos Parabéns!

Abraço
Augusto

Mota disse...

Olá Miguel.

Parabéns.
Disponibilizaste um belo e completo artigo, ao melhor nível do que por Espanha se vai fazendo um pouco também.

Força Miguel e um abraço

burnt_shadow disse...

Eheh, depois dos parabéns... Vem a malta nova: Oh faxabor era um destes! :)

Não, não já chega de carros préfabricados, vamos ter de discutir aqui uma ou duas opções para eu me actualizar.

Mas desde já muito obrigado pelas dicas e pelo convite de regresso. Abraço

Miguel Queiros disse...

Olá a todos e obrigado...

espero que os valentes que conseguiram ler até ao fim tenham conseguido ficar acordados ;)
senão, pode ser utilizado como antídoto para as insónias... eh!eh!

Morgado, o troféu começa sexta feira, há que preparar um carro até lá!

um abraço.

Emídio Peixoto disse...

O nosso grande orgulho é que este artigo é nacional e da autoria de um associado activo do Clube Slot de Braga.
O que é nacional é bom ... e o que é de Braga é ainda melhor...
há que ser um pouco bairrista...
defeito meu...
:)
Parabéns novamente MPQ, uma vez que o nosso blogue nunca teve tantas visitas num só dia!!!
Um abraço Slotista,
Emídio Peixoto.

Hugo Figueiredo disse...

Parabéns, Miguel...


Acho q este artigo veio colmatar uma "falha" do blogue, a parte técnica. Espero que seja o primeiro de muitos ;)


Abraços,

Hugo

Filipe Vilas Boas disse...

Well done...
Muito bem Miguel!
Meus sinceros parabens!
Realmente muito bem descrito e devidamente documentado!
Já estou a ver a proxima "Mas Slot" a publicar o artigo!!!

Um abraço
Filipe Vilas Boas

Miguel Queiros disse...

Olá novamente.

Hugo: sim, espero que seja o primeiro de muitos... e espero que haja mais "contributores" (achei que "contribuintes" ficaria fora de contexto ;) )

Filipe: obrigado, mas não é para tanto... acho que os critérios editoriais da Mas Slot são mais exigentes... mas agora que falas, se calhar com uns "jeitinhos" pode ser melhorado... huummm!!!... ;)

Um abraço

Anónimo disse...

Olá slotistas!
Apesar de andar no slot há alguns anos, estou sempre a aprender!...
É com artigos desta qualidade e genuínos, que o slot ganha novos adeptos, motivando os que querem aprender tornando esta modalidade mais forte e competitiva.
Parabéns Miguel! fico à espera dos próximos...

Um aparte para o Filipe Vilas Boas: os teus cartazes também merecem destaque em qualquer publicação da especialidade.

Um abraço para todos,
A.Bernardino

Emídio Peixoto disse...

Caríssimo amigo António Bernardino:
Fico muito feliz em anotar uma contribuição tua no blogue do "teu" Clube Slot de Braga.
Sem ti o Slot bracarense seria igual a "0", uma vez que sempre foste o grande impulsionador da modalidade, dentro e fora de Portugal.
Continua connosco sempre!!!
Um grande abraço,
Emídio

Emídio Peixoto disse...

E já agora...
Cerca das 20.00 horas anotámos o maior número de utilizadores online ao mesmo tempo, tendo alcançado um registo de 20 utilizadores.
Se quiserem confirmar basta clicarem no contador amarelo e depois no item "history". Se clicarem no item "map" irão ficar espantados com o número de visitantes de países estrangeiros.
O mapa anotou: Dubai, EUA, Chile, México, Brasil, Turquia, Grécia, Suécia, Alemanha, Holanda, Croácia, Roménia, França e, claro, Espanha.
É a confirmação da internacionalização do slot e, obviamente, do Clube Slot de Braga.
Julgo que é um motivo de orgulho para todos os bracarenses adeptos do slot e, principalmente, para todos os associados - presentes e passados - do Clube Slot de Braga.
Um abraço slotista,
Emídio Peixoto.

A.Bernardino disse...

Olá Emidio

Obrigado pelas tuas simpáticas palavras, mas o CSB não é sò "meu" é de todos aqueles que vão dando continuidade a um clube que nasceu em 1976 com muita paixão pelo slot e que com muita carolice e trabalho, mas acima de tudo com muita amizade, conseguiram que a criança crescesse e tenha conseguido chegar aonde está.
Foram muitas as pessoas que passaram ou estão neste clube, mas todos estão no meu coração na gaveta aonde guardo os amigos.
Fico satisfeito sempre que os revejo, alguns semanalmente outros por diversas razões ocasionalmente.
Todos contribuiram ou contribuem para que este Clube seja um local aonde podemos passar bons momentos praticando uma modalidade que gostamos, mantendo acima de tudo a amizade que temos entre nós.
Perdoe-me agora se vou mencionar um nome, mas por razões que se prendem com a lei da vida o nosso Manuel Boticas já não está junto de nós em corpo mas sim em espirito e seria injusto não ter uma palavra especial para este meu amigo e companheiro de aventuras nas provas em que clube participou fora de Braga.
Uma coisa vos posso afirmar todos vós, sem excepção, são importantes para mim e tenho muito orgulho em vocês, pois fizeram com que Braga esteja assinalada no mundo do SLOT como um local aonde se fabricam dos melhores praticantes da modalidade.
Termino mandando um abraço para todos,

A.Bernardino

Daniel disse...

Boas pessoal, efectivamente os ultimos comentarios (em especial os do Bernardino)e o artigo publicado pelo Miguel são fabulosos e dão ainda mais animo aos slotistas para competirem, contribuindo ainda para o fortelacimento da nossa amizade.
Quanto ao blog e ao nº de visitantes...FANTASTICO!! Parabens ao CSB e em especial ao Emidio.
Talvez seja o proximo a escrever um artigo sobre a decoração de carros, e porque não o carro com que vamos participar nas 24 horas do Porto. Desafio tambem o Maia a escrever um artigo sobre o "Segredo das Mistas"
Bem hajam, abraços.

Augusto disse...

Olá Bernardino,

Para além de tudo o que foi dito, gostei muito da referencia ao noso amigo Manel. Muitas das vêzes que vou ao cemitério ver meu pai gosto de passar no continho onde ele está.
Se me permite, acho que o CSB devia retomar a prova em homenagem ao Manel (Memorial) que, segundo o que sei,já foi realizada uma vêz.

Abraço
Augusto

Anónimo disse...

Olá novamente.

Caro Presidente: muito me animam as suas palavras e a sua presença no blog. Obrigado.

Daniel, a tua sugestão de um artigo sobre decoração é excelente, tanto mais que tens apresentado frequentemente carros soberbamente pintados e decorados.

Junto-me ao Augusto na ideia de recriar o Memorial Manel Boticas. Que tal uma prova de resistência?

Um abraço.

Emídio Peixoto disse...

Caro amigo Daniel Costa:
Já estamos à espera então de um artigo da tua autoria.
Em matéria de decoração o troféu tem sido teu!
Um abraço,
Emídio.

Emídio Peixoto disse...

Quanto à prova de resistência ... parece-me a forma mais digna de fazer o memorial ... ou então um formato de rampa ou de Rally.
É uma questão a discutir, mas parece-me que está a faltar um Rally este ano, não acham ?
Já não faço há uns largos meses e estou em "abstinência".... brrrr ...
:))))

A.Bernardino disse...

Olá Augusto

O memorial "Manuel Boticas" já está agendado desde o inicio do ano.
Fico satisfeito por saber que tambem não te esqueceste dele.

Abraço,

A.Bernardino

Hugo Figueiredo disse...

Se calhar já será um pouco tarde para acrescentar o tributo ao nome da prova de amanhã...


Não tive, infelizmente, oportunidade de conhecer a pessoa em questão. Sendo novo neste clube, e sabendo do lugar especial que parece ter entre os praticantes mais "antigos" na casa, terei todo o prazer em participar num evento dessa índole. Acho que um tributo merecido engrandece aquilo que é, no fundo um divertimento/passatempo, mas que penso trazer e reforçar laços entre os adeptos. Fora as "quezílias" desportivas, julgo ser uma faceta importante desde e de qualquer outro hobby.


Um abraço,

Hugo