segunda-feira, 10 de agosto de 2009

12 horas GT-HRS CSB - Reportagem

Reportagem alargada (com algum atraso, mas são as férias...)

Grande corrida a disputada passado sábado, dia 1 de Agosto nas instalações do Clube de Slot de Braga. A prova de 12 horas GT HRS foi extenuante e entusiasmante em todos os sentidos.

As hostilidades começaram desde as sessões de treinos livres durante a semana. Os tempos realizados pelos minimodelos em preparação eram muito rápidos, numa antevisão do que seria o ritmo possível em prova. E a "guerrilha" psicológica também esteve presente entre as equipas, com diversas tácticas para pressionar os adversários e levá-los a erros de preparação (como viria a descobrir depois da prova, uma das equipas lançou”fumo” para os olhos dos adversários, fazendo tempos assombrosos com carros "ilegais"...)

No dia de prova e com o material de corrida, os tempos por volta eram mais realistas e indicativos do que se viria a passar em prova. As verificações técnicas decorreram normalmente. Todos os modelos estavam conforme ao regulamento e o parque fechado apresentava um alegre colorido, com uma maioria de decorações personalizadas.


O parque fechado após as verificações técnicas.

A pole position foi obtida pela equipa Smoke Off, com um tempo abaixo dos 9,5 segundos. Os resultados da qualificação e a escolha das calhas de saída para a primeira manga foram os seguintes:

Pos.

Equipa

Tempo

Calha

1

Smoke Off

9,473

Vermelha

2

Smoke On

9,486

Verde

3

Havoc

9,837

Branca

4

Braga Slot Racing

9,960

Amarela

5

CSB-One

10,126

Preta

6

Ariouro Team Slot

10,251

Azul


A grelha de partida para a primeira manga.

A prova iniciou-se com ligeiro atraso relativamente à hora prevista. Desde cedo a equipa Smoke On demonstrou um andamento impressionante. A equipa Smoke Off não acertou na escolha da calha de saída, uma vez que a calha verde estava manifestamente mais rápida que a vermelha.


Os pilotos do primeiro turno da prova.

No final dos 54 minutos do primeiro turno de pilotagem, a equipa Smoke On liderava com um registo impressionante de 354 voltas, mais 5 que a equipa Smoke Off. A equipa Braga Slot Racing encontrava-se na terceira posição com menos 29 voltas que os líderes e mais uma volta que os quartos classificados, a Team Havoc. A equipa da casa, CSB One somava 315 voltas e a Ariouro Team Slot 287 voltas.

No segundo turno, depois de verificar que o andamento do seu minimodelo não melhorava, a equipa Braga Slot Racing tomou uma decisão dramática e substituiu o berço do motor. Esta decisão estratégica revelou ao longo da prova ter sido acertada, pois permitiu recuperar um andamento semelhante ao dos primeiros, apesar do grande número de voltas perdidas na substituição. Com esta situação a equipa Havoc ascende ao terceiro lugar da classificação provisória. A equipa Smoke Off faz uma excelente média, recuperando 2 voltas de atraso para os líderes.


A curva 1 não deixa os pistadores descansar.

Estas equipas ocupariam as pistas exteriores no terceiro turno, pelo que se antevia uma possibilidade de recuperação de algumas voltas por parte das restantes equipas. No entanto os Smoke On demonstraram-se superiores e tiveram o maior registo de voltas do turno, 349. Os grandes prejudicados acabaram por ser os Smoke Off, uma vez que apenas conseguiram totalizar 339 voltas na calha azul, ainda sem a borracha necessária para permitir bons tempos por volta. A equipa Braga Slot Racing, apesar de algumas paragens para pequenas afinações, iniciava a sua recuperação, tendo conseguido acumular 339 voltas. Neste turno estreou-se o pequeno Hugo Gomes. Este jovem piloto (de apenas 9 anos) portou-se galhardamente, resistindo a 54 minutos consecutivos de pilotagem! Valente!


O pequeno Hugo Gomes no final do seu turno de pilotagem: cansado mas sempre bem-disposto!

O quarto turno foi um dos mais emocionantes da prova. As equipas Smoke On e Smoke Off apresentavam-se para este turno nas calhas mais rápidas da pista do CSB (vermelha e verde, respectivamente). Estavam separadas por 18 voltas no acumulado, com vantagem para a Smoke On.


O 4º turno da prova, uma das mais emotivas da prova.

Os pilotos (respectivamente José Eduardo e Emídio Peixoto) imprimiram um andamento verdadeiramente impressionante, com tempos sistematicamente abaixo dos 9 segundos. Estes pilotos realizaram grande parte deste turno lado a lado, a um ritmo alucinante. No final vantagem para Emídio Peixoto que, com 359 voltas, levou José Eduardo de vencida, por uma margem de apenas 2 voltas.

A luta entre Smoke On e Smoke Off no 4º turno: alucinante!

A animação durante este turno também foi grande fora da pista. Rui Costa, a presença internacional em algumas provas do CSB e habitual correspondente do blog GT Team, celebrou o seu aniversário com os companheiros de gatilhadas.

No quinto turno a equipa Smoke Off continuava a sua toada ofensiva. Com 358 voltas no total dos 54 minutos conseguiam recuperar 9 voltas aos primeiros classificados. A equipa Havoc segurava o terceiro lugar provisional com um ritmo rápido e seguro, evitando erros, dado que tanto a equipa CSB One mas sobretudo a Braga Slot Racing recuperavam alguma da diferença que os separava do terceiro posto.

Mais actividades na envolvente da prova. Cristina, esposa de Bernardino, surgia acompanhada de sua irmã e de duas deliciosas quiches que permitiram aos presentes encarar o resto da prova com mais ânimo e energia.

Com o sexto turno iniciava-se o período de paragens obrigatórias previsto no regulamento desportivo. No entanto, nenhuma das equipas parou para a mudança de pneus. Todas as equipas preferiram esperar pelo turno 7, depois da neutralização do meio da prova.


Prova emotiva e animada, como demonstra o excelente ambiente entre os espectadores.

A Smoke Off conseguiu recuperar ainda 3 voltas neste turno, e no final da primeira manga, a diferença era apenas de 4 voltas entre os dois primeiros postos da classificação provisória. O Team Havoc mantinha o terceiro posto e o quarto era ocupado pela CSB One. A Braga Slot Racing demonstrava que finalmente tinham encontrado uma boa afinação, pois conseguiam 346 voltas no último turno da primeira manga. Apesar da desvantagem de voltas que esta equipa tinha acumulado na primeira manga, previa-se que entrariam na segunda fase da corrida com vontade e determinação de recuperar posições na tabel. A Ariouro Team Slot tinha à entrada da neutralização uma diferença de mais de 300 voltas para os primeiros. O minimodelo desta equipa passou a manifestar problemas evidentes de uma frente demasiado baixa desde a montagem dos pneus de prova e nunca conseguiu ultrapassar essa questão que irremediavelmente os atrasava. Nunca baixaram os braços, demonstrando muito desportivismo e combatividade durante toda a prova.

No final da 1ª manga, a classificação provisória era a seguinte:

Pos.

Equipa

Voltas

1

Smoke On

2107

2

Smoke Off

2103

3

Havoc

1989

4

CSB-One

1904

5

Braga Slot Racing

1869

6

Ariouro Team Slot

1793

Ao intervalo os participantes foram brindados com mais um petisco. António Maia, já famoso pelas tostas mistas, decidiu surpreender e brindar os presentes com uns deliciosos rojões!


António Maia distribuindo o “lanche” a meio da prova

Com as forças restabelecidas, as equipas estavam prontas para iniciar a segunda manga. No turno 7 teriam todas que substituir os pneus dos minimodelos e havia alguma curiosidade quanto à estratégia a utilizar, se os pneus seriam ou não colados.


Smoke On em animada discussão: estratégia para a segunda parte da corrida?

Mais, esperava-se a recuperação da equipa Braga Slot Racing e havia expectativa em saber se conseguiriam ainda recuperar um lugar no pódio. O período de condução nocturno era outro motivo de interesse para esta segunda fase da prova.


Início da segunda manga, animação permanente.

No turno 7 todas as equipas deveriam proceder à mudança obrigatória de pneus, que foram executadas sem problemas, excepto para a CSB One, que teve alguns problemas que ditaram um ritmo abaixo do habitual. Estes problemas permitiram à Braga Slot Racing ascender à quarta posição da classificação provisional. A equipa Smoke Off continuava a sua recuperação e no final deste turno passava a ocupar o primeiro lugar provisório com apenas uma volta de vantagem para a Smoke On. A Team Havoc mantinha uma vantagem confortável na manutenção do terceiro posto.

A activação do sistema de iluminação dos minimodelos estava prevista para o turno 8. Esta operação revelou-se fonte de problemas para algumas das equipas. A equipa CSB perdeu alguma da vantagem para a equipa Ariouro por diversos problemas de contacto. Esta, por sua vez, com uma operação de activação rápida, começava a impor um mais rápido, que, associado aos problemas da CSB One, permitiam aspirar ao quinto posto final. A equipa Smoke On também encontrou vários problemas com o seu minimodelo. Em particular nas curvas 2 e 3 e no gancho de saída da ponte e de acesso ao túnel, o minimodelo perdia corrente, o que ditou diversas saídas. As paragens na zona de assistência, na tentativa de solucionar o problema, acabaram por ditar a perda de mais de 30 voltas para os líderes da provisional. A equipa Havoc foi outra das que teve alguns problemas com a activação do sistema de iluminação. Um fio eléctrico mal posicionado provocou sintomas de curto circuito, que induziram um funcionamento irregular do motor do minimodelo, cedendo perto de 20 voltas para a Braga Slot Racing.

Na mudança de calhas entre os turnos 8 e 9 o sistema de iluminação da pista foi activado.


O sistema de iluminação da pista do CSB

Iniciava-se no turno 9 o período de condução nocturno. Para a maioria dos participantes esta era uma novidade esperada com alguma expectativa. Quais as surpresas e armadilhas que a condução nocturna traria?


O período de condução nocturno

O ritmo de corrida alterou-se um pouco no período de condução nocturno, como seria de esperar. Foi necessário aos pilotos habituar a visão às novas condições de luminosidade e criar novos pontos de referência de pilotagem. Mesmo assim o ritmo era muito rápido. A Braga Slot Racing foi a que melhor e mais rapidamente se adaptou às condições de condução nocturna e venceu o turno 9, com um total de 340 voltas, mais 2 que a Smoke Off e mais 9 que a Smoke On. Isto eram más notícias para a equipa Havoc, que começava a fazer contas para assegurar o terceiro lugar…

E as contas começaram a complicar-se para os Havoc no turno 10. Um problema grave de estabilidade impedia esta equipa de conduzir com segurança. O problema foi de difícil diagnóstico e até à sua resolução a equipa perdeu praticamente 50 voltas para a Braga Slot Racing. Esta, por sua vez, mantinha um ritmo de condução nocturno elevadíssimo, tendo registado o 3º melhor parcial de voltas para este turno (333), atrás da Smoke Off (345), que continuava a distanciar-se das demais, e da Smoke On (341), que finalmente recuperava o seu ritmo de corrida. A equipa Ariouro perdia neste turno 40 voltas para a CSB One, que também recuperava o seu ritmo de corrida.

À entrada do penúltimo turno de pilotagem, eram vários os motivos de interesse: conseguiria a equipa Smoke On recuperar a desvantagem de quase 50 voltas que possuía já para a Smoke Off? E a equipa Havoc, conseguiria aguentar a vantagem de 30 voltas para a Braga Slot Racing, que estava a imprimir um ritmo elevadíssimo no período noturno?


Após 10 horas de prova o interesse ainda estava desperto!

(alguns dos participantes é que nem por isso…)

No final do turno 11, a Braga Slot Racing tinha uma desvantagem de apenas 29 voltas para a equipa Havoc. Por seu lado, a equipa Smoke Off tinha aumentado em mais 12 voltas a sua vantagem para os segundos classificados. A CSB One mantinha um bom ritmo de corrida que permitia encarar com serenidade o último turno de pilotagem, apesar da melhoria notória no rendimento da equipa Ariouro.

Na mudança de calhas para o último turno celebrou-se o aniversário do segundo mais novo participante em prova: o jovem João Silva, também estreante em competições de resistência e que muito boa conta deu de si. Parabéns João.


O jovem aniversariante João Silva.

Turno 12, o último turno da prova. Os participantes acusavam já o cansaço físico, mas mantinham todo o ânimo e empenho na prova. O ritmo de prova baixou um pouco, principalmente porque, nesta fase da corrida, o mais importante era assegurar que se terminava a prova. Não houve recuperações fantásticas e as posições na classificação provisória no início do último turno de pilotagem acabaram por se manter.


Expectativa pelos resultados oficiais no final de 12 horas de corrida


As máquinas sobreviventes no final da prova.

Os resultados finais da prova foram os seguintes:

Pos.

Equipa

Total

1

Smoke Off

4159

2

Smoke On

4096

3

Havoc

3882

4

Braga Slot Racing

3858

5

CSB-One

3677

6

Ariouro Team Slot

3588


O pódio final das 12 horas GT-HRS do Clube de Slot de Braga

Os grandes vencedores das 12 horas CSB foram os Smoke Off, que depois de um início menos rápido acabaram por se impor.


Equipa Smoke Off (da esq. p/ dir): Eduardo Carvalho, Paulo Mendes e Emídio Peixoto).

A segunda classificada foi a equipa Smoke On, que após um início de prova demolidor perdeu o ritmo com alguns problemas a meio da prova.


Equipa Smoke Off (da esq. p/ dir): José Eduardo, Vitor Lopes e Daniel Costa

Os Havoc Team que beneficiaram de alguns problemas de outras equipas e conduziram de forma estratégica para assegurar o terceiro lugar.


Team Havoc (da esq. p/ dir):Miguel Queirós, António Maia e Hugo Figueiredo

A equipa Braga Slot Racing, tiveram uma segunda manga fulgurante, mas o atraso da primeira metade da prova não permitiu ascender ao pódio.


Braga Slot Racing (da esq. p/ dir): Jorge Cardoso, Nuno Aguilar, Rui Mota e Augusto Amorim

A equipa da casa, CSB One, conciliava experiência e juventude, condimentada com muito boa disposição.


CSB One (da esq. p/ dir): António Bernardino, Hugo Gomes e Filipe Gomes (faltam ainda João Silva e Mika)

A equipa Ariouro Team Slot era totalmente estreante em provas de resistência desta duração. Uma equipa que apesar de alguns problemas nunca baixou os braços e sempre se comportou com excelente desportivismo.


Ariouro Team Slot (da esq. p/ dir): Filipe Vilas Boas, José Pedro e Pedro Correia

Assim terminou uma grande jornada de slot. Muita emoção, muita competição e, sobretudo, grande animação e convívio entre todos os participantes e os que quiseram (e puderam) assistir à prova!

Para o ano há mais!!! (assim esperamos!!)


“That’s All Folks!”

9 comentários:

Augusto disse...

Bela reportagem. Este relato traduz na perfieição o que se passou na prova.
Foi uma prova em disputada e com um excelente ambiente.
Relativamente a minha equipa, apenas quero salientar que a solução não veio da paragem prolongada na boxe, que não surtiu efeito, mas sim da chegada do Jana. Quando chegou deu instruções em relação ao aperto a dar aos parafusos e ... o Mota, imediatamente, desceu dos 9,0 segundos...BOA JANA!!!! Ás vezes tenho que te dar razão....

Espero com ansiedade outra prova do género.

Obrigado
Augusto

Emídio Peixoto disse...

Em jeito de comentário à última fotografia da reportagem...
O Maia estava nas nuvens, a planar de satisfação pelo seu brilhante e merecido terceiro lugar!
Parabéns Maia e Team HAVOC!

Um abraço slotista,
Emídio.

Mota disse...

Parabéns pela reportagem.

Nada tendenciosa, descreve com algum pormenor e verdade o desenrolar da prova.

Estamos no bom caminho.

Parabéns à organização por ter montado com o êxito que testemunhamos, uma prova desta envergadura.... e ao cronista por este belo exemplo do que deve ser um relato bem estruturado.

Hugo Figueiredo disse...

Bolas, nao era preciso terem-me lembrado do tenebroso turno 10, já estava tão bem no esquecimento! :)


Parabéns pela reportagem, quando é assim, não nos importamos pela demora.


Como já referi, uma prova espetacular. Depois de um Slot of Champions a dar um ar de novo à modalidade, uma prova desta envergadura com componente nocturna só mostra que querendo podemos fazer coisas diferentes no slot. A "máquina" vai embalada em Braga, vamos zelar para que não perca "vapor" ;)

Costa disse...

Excelente reportagem.
Agora desafio vocês, responsáveis pelo CSBraga e o GT Team, a fazerem uma cobertura ao vivo e online da prova de 24 horas do Porto.
Para quem não vai poder estar presente, seria excelente saber notícias fresquinhas directas da prova.
Pelo menos umas linhas a cada 3 ou 4 horas, para o pessoal poder acompanhar o comportamento das máquinas e pilotos.
Um grande abraço

Daniel disse...

Boas, bela e fiel descrição de uma prova que foi fabulosa. Esta prova foi positiva para prepararmos as 24horas que se avizinham.
Abraço

José Marques disse...

parabéns a todos

excelente prova

adorei mesmo a prova

Mota disse...

Grande desafia, Sr. Rui Costa.

Da minha parte, não prometo cumprir. Mas prometo-te pelo menos tentar, apesar nas grandes dificuldades que isso implicará. Terei que vencer as questões "tempo", "cansaço", "conciliação de turnos" e talvez a maior de todas, "INTERNET". Como só tenho em casa, será um problema.

Vamos vêr, mas gostei imenso do desafio.

Um abraço

Miguel Queiros disse...

Boas a todos.

Estando eu de férias fica um pouco difícil acompanhar os vossos comentários (que agradeço).

Tentei ser o mais fiel ao que foi sucedendo, sem ser demasiado exaustivo. Espero ter conseguido.

Quanto à sugestão do Rui Costa, de facto seria excelente poder fazer como sugere, mas seria necessário estar presente na totalidade da prova, o que me será impossível. Talvez para um próxima prova de longa duração a realizar em Braga, quem sabe?...

Um grande abraço e boas férias.